Distúrbios osteo-musculares

 

Saiba quais são os principais distúrbios osteo-musculares relacionados ao trabalho

IMPACTOS DOS ERROS DE POSTURA

Conscapaideramos os distúrbios osteo—musculares relacionados ao trabalho (DORTs) não como condições clínicas bem definidas, mas, como uma sigla, que reúne um conjunto de afecções osteo-musculares que podem estar relacionadas a uma estrutura de trabalho mal organizado. Entre as afecções mais comuns, destacam-se as tendinopatias (patologias tendíneas, principalmente nas regiões do ombro, cotovelo e punho) as lombalgias (dores na região lombar) e as mialgias (dores musculares).

Identificadas antigamente como Lesões por Esforços Repetitivos (LERs) essas patologias tiveram sua denominação modificada, basicamente por duas razões: 1) nem todos os indivíduos com sintomas apresentavam lesões identificadas; 2) havia condições relacionadas ao trabalho, mas não relacionadas a movimentos repetitivos (sobrecarga dinâmica) e, sim, a sobrecarga estática (erros posturais viciosos, desprotegidos e cumulativos ao longo do tempo), como a permanência de horas e horas a frente dos computadores, tablets ou smartphones.

Sabe—se que a cabeça pesa aproximadamente 5 kg. Ao incliná-la e, assim, mantê-la por tempo prolongado, a coluna cervical pode receber uma carga equivalente a 15 kg. Levando em consideração que esses gestos podem se repetir muitas vezes ao longo de meses ou anos, dores crônicas associadas ou nao a irradiações para os braços, com formigamentos ou choques e, consequentemente, alterações funcionais, mecânicas e até emocionais, podem se instalar.

Dessa forma, cabe destacar o conceito de postura: conjunto e posicionamento das articulações em um determinado momento e espaço, visando manter a harmonia entre o aparelho locomotor e o sistema nervoso central, favorecendo, dessa forma, a proteção dos sistemas corpóreos e evitando o aparecimento de deformidades, fadiga, dores crônicas, enfim, de situações que possam comprometer a vitalidade funcional desses segmentos. Importante relatar que alterações posturais não estão vinculadas somente à coluna. Podem também estar relacionadas a outros segmentos osteo-articulares, como os joelhos e os pés, além de também poderem sofrer influências de condições sistêmicas, como diabetes e osteoporose, entre outras.

As principais situações na origem dos DORTs podem estar relacionadas as condições de um trabalho mal organizado e sem vigilância das medidas ergonômicas adequadas, em que existam sobrecargas e posicionamentos incorretos, ausência de pausas, mobiliário inapropriado, ausência
de posicionadores e descansos osteo-articulares em trabalhos específicos, insatisfação e desmotivação no trabalho (influenciando em condições emocionais desfavoráveis, alterando a sensibilidade na modulação e percepção dos quadros dolorosos), além da predisposição constitucional individual ou mesmo de condições anatômicas não fisiológicas pré-existentes.

Contudo, a exemplo do que ocorre em outros países, como Reino Unido, Austrália e Estados Unidos, é de suma importância a investigação criteriosa para a determinação exata da patologia, pois nem todas as tendinopatias, mialgias ou lombalgias estão relacionadas ao trabalho.

Importante enfatizar que todas essas condições acima apontadas são passíveis de tratamento, que deve consistir em medidas preventivas, estratégicas ergonômicas, organização do trabalho, vigilância, pausas para descansos e alongamentos, além de propostas terapêuticas medicamentosas
e físicas, em sua grande maioria. Eventualmente, a cirurgia pode fazer parte do arsenal terapêutico..

Fábio Batista é medico ortopedista e coordenador do ambulatório de pé
diabético da disciplina de ortopedia da Universidade Federal de São Paulo (Uniesp)
e doutor do núcleo de programas estratégicos da Secretaria Municipal
da Saúde de São Paulo

fonte: Revista Cipa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *